ABPM NA INTERNET:

Conecte-se à ABPM:

segunda-feira, 22 de agosto de 2016

21/08/2016 - Neve na Serra Catarinense

Por Cristian Edel Weiss para Diário Catarinense

Adultos se divertem como crianças no espetáculo proporcionado pela neve no Morro da Igreja, em Urubici

A Serra catarinense sabe ser palco de espetáculos. Na tarde deste domingo, pelo menos por meia-hora e momentos antes de encerrar oficialmente o acesso ao Parque Nacional São Joaquim, em Urubici, até os mais experientes se despiram da dureza imposta pela maioridade e se lançaram sobre a neve acumulada na vegetação do Morro da Igreja. Quando os flocos caem do céu, adultos e crianças parecem ter a mesma idade. 

Em menor volume, a neve também foi vista na localidade de Cruzeiro, em São Joaquim, na Serra do Rio do Rastro e no Morro das Antenas, em Urupema, entre 10h e 12h de ontem.
Por volta das 15h30min, mais de 50 pessoas estavam no topo do Morro da Igreja, que registrava 1°C. O espaço estava disputado, isso porque, desde as 8h, ocorrências pontuais de neve tinham sido registradas no local, principalmente entre 11h e 14h, intercalando com momentos sem o fenômeno. A paisagem foi tomada pelo branco dos quase cinco centímetros de neve acumulados sobre a vegetação.

O tempo aparentemente já seco não frustrava os visitantes. Ocasal Eder e Maria Angélica veio de Joinville com um grupo de turistas para encontrar o fenômeno. Mas a paisagem bastava para deixá-los animados:

– É fascinante, é um sonho realizado – diz Maria, que jogava para o alto um punhado de neve.

Os irmãos Angelo Donizeti Pessoa, 41 anos, e Juliano Pessoa,36, trouxeram o pequeno Juliano Jr, de dois anos, como pretexto para curtir a neve. Apesar de nascidos em Urubici, rolaram morro abaixo esferas de gelo para dar corpo ao boneco de meio metro de altura e galhos como braços.
– Ficamos sabendo que estava nevando por amigos que trabalham no radar e que nos mandaram WhatsApp. Viemos correndo, porque não é sempre que neva assim – conta Donizetti.
Os irmãos e seu brinquedo viraram a atração dos que já iam embora da colina. Aliás, bonequinhos de gelo enfeitavam os capôs da maioria dos carros que desciam o morro, como se esnobassem com a mensagem: ¿neve no Morro da Igreja, eu fui.

Quem não fazia bonecos, se jogava nos tapetes brancos ou atirava bolas de neve. O eletricista de automóveis Danilo de Souza era um deles. Mesmo morando em Urubici, pulava como menino por causa do ocorrido neste domingo.

– É uma coisa que só acontece uma vez por ano. É difícil dever assim – justifica, enquanto se esquivava das bolas de neve atiradas pelos amigos.

Mas quando a neve já começava a derreter e formava uma confusão de carros dos que queriam ir embora e dos que tentavam subir, uma nuvem se aproximou para conceber o ápice da cerimônia. Entre 16h09min e 16h43min, nevou mais uma vez sobre o pico do Morro da Igreja. Eram flocos pequenos, mas intensos e capazes de proporcionar uma profusão de selfies e histeria coletiva, apesar da sensação de congelar o rosto e os dedos dos pés.

Quem achou que o espetáculo tinha acabado, foi surpreendido na descida do morro pelo sol, que deu as caras por uma fenda entre as nuvens. Mas este pode ter sido apenas o penúltimo ato da Serra. O grand finale da natureza tem chances de ocorrer nesta segunda-feira, ao amanhecer, em Urupema, se a frente fria se afastar e o tempo estiver mais seco. É o sincelo, formando cristais de gelo suspensos em árvores e beirais dos telhados.

Limitação de acesso ao Morro da Igreja revoltou turistas
Por conta da segurança dos visitantes, a administração do parque fechou os portões que dão acesso ao topo do morro desde a metade da manhã. Turistas de Rio do Sul, Joinville, Florianópolis, Balneário Camboriú e até de outros Estados chegavam ao topo de carro ou nas vans, que são os únicos veículos coletivos autorizados a subir. Os ônibus de turismo paravam ainda no acostamento da SC-370 para fazer o traslado dos turistas para vans.

Como o número de visitantes no topo é controlado, apenas quando alguns veículos desciam, outros podiam subir. Por conta da propaganda do fenômeno nas redes sociais, mesmo após as 17h, quando o acesso ao morro é fechado, havia filas de automóveis tentando subir. Os motoristas reclamaram do fechamento do acesso e pediam uma exceção para quem veio de longe só para ver a neve. Normalmente, o limite de visitação diária é de 200 veículos.

Bom foi para a lanchonete Caminho das Neves, que fica na esquina da SC-370 com a Estrada de Acesso ao Morro da Igreja. Durante todo o domingo, os atendentes Odirlei Brito e Cleusi Secatto serviram também de guias turísticos para orientar quem chegava e não sabia onde encontrar a neve. 

Já passava de 19h quando um casal de Balneário Camboriú parava no ponto para se informar se ainda poderia chegar ao topo. Com o movimento, os atendentes faturaram bastante. Até alface para os lanches acabou antes do previsto e as xícaras de café para aquecer quem descia o morro foram tantas que eles perderam a conta.

Fotos: Diário Catarinense:
 





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário, estamos aguardando a sua participação. Obrigada!