ABPM NA INTERNET:

Conecte-se à ABPM:

quinta-feira, 17 de março de 2016

ABPM representa segmento da maçã em encontro da fruticultura com a Ministra da Agricultura

Moisés Lopes de Albuquerque, Diretor Executivo da ABPM representou o segmento da maçã.

Em reunião com produtores da Associação Brasileira dos Produtores Exportadores de Frutas e Derivados (ABRAFRUTAS), realizada nesta quarta-feira (16), a ministra da Agricultura, Kátia Abreu, afirmou que o ministério estudará sugestões dos produtores para melhorar os processos de fiscalização.


Atualmente, há déficit de fiscais do ministério nos portos para liberar as frutas para exportação. Além disso, o processo de fiscalização é burocrático, explica o presidente da ABRAFRUTAS, Luiz Roberto Barcelos: "Em cada lote de exportação, os fiscais abrem um contêiner para averiguarem a qualidade dos produtos. Isso significa que, em média, aproximadamente um terço dos contêineres são abertos antes de serem liberados".

Barcelos explica que o processo pode diminuir a qualidade das frutas, por quebrar a cadeia de refrigeração, além de ter um custo extra para deslocamento dos contêineres para os locais de remoção das amostras. "Sem falar que o processo é desnecessário. Em 20 anos de exportações, nunca um contêiner meu teve problema. Temos que buscar formas mais eficientes de fiscalização", afirma.

A principal sugestão dos produtores é que a fiscalização migre dos portos para os locais de produções das frutas. Nesse caso, o ministério fiscalizaria todos os processos nas fazendas as credenciaria para exportação. Vale lembrar que todos os produtores que exportam frutas já contam com certificados internacionais de qualidade e boas práticas agrícolas. O Ministério estudará a sugestão e dará uma resposta nas próximas semanas.


Outra demanda dos produtores levada à ministra foi a ajuda na facilitação dos registros de defensivos agrícolas. A ministra Kátia Abreu prometeu que encontrará uma solução para legalizar a extensão de uso de defensivos agrícolas para culturas carentes de registros. "Frutas como acerola não têm atualmente nenhum defensivo registrado para uso, o que dificulta seu controle de pragas", explica o presidente da ABRAFRUTAS.

Durante a reunião, a ministra também ouviu demandas pontuais de produtores de diferentes frutas, como a maçã, melão, mamão, manga, melancia, uva, limão e banana. O Ministério mostrou-se sensível aos problemas apontados e estudará caminhos para atender aos pedidos dos produtores.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário, estamos aguardando a sua participação. Obrigada!