ABPM NA INTERNET:

Conecte-se à ABPM:

segunda-feira, 4 de maio de 2015

Ministério prorroga prazo para regularização no Cadastro Ambiental Rural

Nayara Figueiredo

O prazo do Cadastro Ambiental Rural (CAR) que se encerraria amanhã, se estenderá por mais um ano. O anúncio foi feito na quinta-feira (30), pelo ministro interino do Meio Ambiente, Francisco Gaetani, durante audiência na Comissão de Agricultura da Câmara. 

Ele afirmou que o decreto de adiamento será publicado nesta semana. No Diário Oficial de quinta-feira (30), a presidente Dilma Rousseff também havia passado para a ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, a decisão sobre a prorrogação do prazo do CAR. 

O anúncio oficial deve ser feito hoje com presença das ministras Kátia Abreu e Izabella Teixeira. 

Na semana passada, o secretário de Agricultura e Abastecimento de São Paulo, Arnaldo Jardim, anunciou que somente 44% da área Agrícola do estado tinham sido registrados no CAR até o dia 24 de abril. 

"Acreditamos que vamos ultrapassar os 50%, mas seria necessário mais tempo. Houve uma reunião no Ministério da Agricultura, com a Febraban [Federação Brasileira de Bancos] e o não cadastramento será um impeditivo de obtenção de crédito", afirmou Jardim. 

"Entendemos que este é um importante instrumento de aprimoramento da atividade Agrícola e, aos poucos, o agricultor vai perdendo o receio de aderir a ele", disse. 

A taxa de 44% equivale a 112 mil propriedades Rurais no Estado, totalizando 7,5 milhões de hectares. Há uma deliberação para que a concessão de crédito ao produtor esteja condicionada à adesão ao CAR. 

A Federação da Agricultura e Pecuária de Goiás (Faeg) assim como outras federações do País, juntamente com a Confederação Nacional da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) do País já havia solicitado a prorrogação junto ao Ministério do Meio Ambiente. 

Os produtores que não realizarem o cadastro até a data prevista irão sofrer sanções. Além de dificuldade na obtenção de crédito, os proprietários que não realizarem o cadastramento perderão benefícios previstos no Novo Código Florestal, como a suspensão de multas administrativas por corte irregular de vegetação no imóvel e a possibilidade de regularizar Reservas Legais.

Fonte:http://si.knowtec.com/scripts-si/MostraNoticia?&idnoticia=77955&&idcontato=8929348&origem=fiqueatento&nomeCliente=CNA&data=2015-05-04

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário, estamos aguardando a sua participação. Obrigada!