ABPM NA INTERNET:

Conecte-se à ABPM:

sexta-feira, 6 de setembro de 2013

CNA defende união de produtores e exportadores para garantir crescimento do setor de frutas

fonte:http://si.knowtec.com/scripts-si/MostraNoticia?&idnoticia=62389&&idcontato=8890237&origem=fiqueatento&nomeCliente=CNA&data=2013-09-04

De olho em mercados tão importantes quanto o brasileiro, a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) decidiu intensificar as ações voltadas para a promoção de produtos agropecuários no exterior. 

O tema foi debatido nesta terça-feira, em Brasília, durante reunião de exportadores de frutas frescas. Representantes de 30 empresas exportadoras, responsáveis por 90% dos embarques de frutas frescas do Brasil, participaram do encontro, realizado na sede da CNA. 

Apoiar o fortalecimento da cadeia de frutas, assim como a de outros setores da agropecuária, é determinação da presidente da CNA, senadora Kátia Abreu, afirmou o presidente do Instituto CNA, Moisés Gomes, durante a reunião. 

Ele lembrou que a confederação tem solicitado ao governo federal a inclusão de representante do setor agropecuário no conselho da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex). O pedido foi encaminhado ao ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), Fernando Pimentel. 

Para reforçar as ações, a recém-criada Superintendência de Relações Internacionais da CNA faz um importante trabalho na identificação dos entraves e na formulação de propostas de aberturas de novos mercados, inclusive para o setor de frutas, contou o presidente do ICNA. 

Segundo Moisés Gomes, a senadora Kátia Abreu tem se empenhado pessoalmente em diversas missões internacionais, voltadas para a abertura de novos mercados, e está otimista com o resultado das iniciativas. 



Citou dados da Ásia, que ampliou em 508% as importações de frutas desde 2000. A China está investindo na produção de algumas frutas, em especial de cítricos. Ainda assim, importa mais de 40% do suco de laranja consumido no mercado interno, sendo o Brasil responsável por mais de 70% desse volume. Por isso, a CNA considera o país asiático um mercado potencial para nossas frutas frescas e outros sucos, como os de maçã e pêssego. 

Diante das oportunidades de negócios – não só para frutas, mas também para outros produtos agropecuários -, a CNA vai realizar nos dias 12 e 13 de novembro, em Pequim, um seminário para apresentar a empresários o potencial comercial entre os dois países. Os representantes do setor de frutas foram convidados para integrar a missão da CNA. 

Europeus - Durante a reunião, a superintendente de Relações Internacionais da CNA, Tatiana Palermo, lembrou que o comércio de frutas com a União Europeia responde por 65% das exportações totais. Alertou, no entanto, para a importância de concluir o acordo de livre comércio com o bloco europeu, negociação iniciada há 15 anos. 

Explicou que, a partir de janeiro de 2014, o Brasil perderá as preferências concedidas unilateralmente pelos europeus no âmbito do Sistema Geral de Preferências (SGP). No ano que vem, países como Chile, México, Colômbia, Peru e Costa Rica, fornecedores tradicionais para a União Europeia, continuarão vendendo frutas para o bloco, sem tarifa. 

As exportações do Brasil, em contrapartida, serão tributadas em até 21,1%, no caso das uvas, dependendo da época do ano. O término do SGP vai colocar as nossas frutas em desvantagem em relação aos principais concorrentes do país, como o Chile, que exporta uvas com tarifa zero e já detém mais de 30% das importações europeias desse produto. 

Registro – Outros entraves para o crescimento da fruticultura no país foram debatidos na reunião de hoje. O presidente da Comissão Nacional de Fruticultura da CNA, Carlos Prado, citou a necessidade de agilizar o registro de defensivos para o setor. “No Brasil, nós não temos condição de produzir frutas de forma competitiva enquanto não for regularizar a situação dos defensivos”, afirmou. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário, estamos aguardando a sua participação. Obrigada!