ABPM NA INTERNET:

Conecte-se à ABPM:

terça-feira, 16 de julho de 2013

Freshfel Exige Esforços na Promoção de Frutas e Vegetais na Prevenção de Doenças não Transmissíveis

Fonte: Freshfel; Tradução: ABPM; Destaques: ABPM; Documento original: Abaixo.

PARA DIVULGAÇÃO IMEDIATA 15 jul 2013


Freshfel Europa recebe Declaração da OMS (Organização Mundial da Saúde) de Viena sobre Nutrição e Doenças Não Transmissíveis (DCNT) no Contexto da Saúde 2020, lançado em 5 de julho de 2013. O reconhecimento da baixa ingestão de frutas e legumes como o principal fator de risco relacionados com a alimentação de desenvolver doenças não transmissíveis, destaca a imperiosa necessidade de concentrar os esforços em promover o aumento de compra e consumo de frutas e legumes.

O número de doenças provenientes de dietas inadequadas e falta de atividade física na região europeia da OMS é excepcionalmente alta. Há um progresso lento na redução da mortalidade prematura e carga da doença em muitos países da região. A contribuição positiva de frutas e legumes é subestimado nas políticas atuais.

Na Declaração de Viena, os Ministros da Saúde e representantes dos Estados-Membros da OMS, afirmam que contribuirá significativamente para a redução das doenças não transmissíveis, abordando preocupações prioritárias, entre as quais, o baixo consumo de frutas e legumes. A Declaração de Viena também aponta a necessidade de se criar ambientes com alimentos e bebidas saudáveis, e considerar o uso de ferramentas e incentivos econômicos para promover a alimentação saudável, de acordo com o contexto nacional.

Philipp James (London School of Hygiene e Tropical Medicine, IASO), destacou a maior eficácia da legislação, regulamentação e políticas fiscais para a manutenção de ambientes com alimentação e bebidas saudáveis do que a saúde clássico educacional e abordagens de campanhas de mídia.

Carlos A. Monteiro (Center for Epidemiological Studies on Health and Nutrition, School of Public Health, University of Sao Paulo) afirmou que, enquanto houver um consumo excessivo de produtos ultra-processados, alimentos densos de nutrientes minimamente processados​​, notadamente grãos integrais, leguminosas e frutas e verduras, não estão contribuindo de forma adequada para a prevenção devido ao seu baixo consumo. Grandes esforços políticos e da política estão se concentrando na redução de nutrientes indesejáveis ​​(sal, gordura e açúcar), principalmente através de reformulação. Mas, como declarou Monteiro, reformulação de produtos tem um efeito muito limitado, como a redução de um ingrediente (s) que estão no produto, não pode transformar esses "produtos ultra-processados" em saudáveis. É preciso nutrientes integrais de alimentos não transformados, como legumes e frutas para realizar a prevenção adequada.

Philippe Binard, Encarregado Geral da Freshfel , declarou: "Embora a ação contínua para diminuir a ingestão de certos nutrientes seja importante não estão sendo colocados  esforços suficientes  na promoção do consumo de alimentos integrais ou minimamente processados​​, como frutas e legumes, ricos em nutrientes que necessitam ser encorajado." Freshfel chama os decisores políticos a se concentrar sobre esta questão em futuros desenvolvimentos políticos.

Documento Original:


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário, estamos aguardando a sua participação. Obrigada!